quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Noites Traiçoeiras


Esta noite mantive-me por mais uma vez
Entre seus sonhos
Maldita dor de quem se ama
A saudade que aperta o peito
Doce veneno a me contaminar
Purifico minha alma
Me despeço de você
Me perco sobre a noite escura
E a cada cálice amargo que me corta a garganta
A dor insuportável de não lhe ter
Bailo por entre as sombras
Cantando aos anjos
Dançando com as nuvens
A dor de não estar aqui
Deixo que a noite me possua
Desejo ser sua
Corto passos
Desvio pensamentos
Amargo a saudade
Aperta o peito
Prendo a respiração
Um salto no escuro
Abro os braços sobre a noite
E me sinto tão nua tão tua
As noites tão traiçoeiras
Me traem a cada segundo
E os pensamentos não se calam
Gritam vibram por você
Sentimentos mergulhados em meu coração
Sufocando a dor da distância
Ocultando a falta de você... 




1 comentários:

Unknown disse...

Olá zoião azul.... que poema carregado de paixão e dor... Ele me fez lembrar quando acabou um relacionamento que tive de 10 anos... intensa saudade!
Mas passou... e hoje é uma doce lembrança.
Lindo por demais.....
Beijo no coração

Postar um comentário