quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Olhar fora do tom...


Olhava pra si
Como criança encantada 
Pela formula imperfeita
Que havia lhe tornado
Pedaço  de uma perfeição  infinda
Renascida de todo mau
Projetada para todo bem
Eternizava seus  gestos 
Por entre estrelas no céu
Pendurava suas  asas sobre a lua
De longe afagava seus sonhos
Silenciava suas dores
Adormecia sobre as trevas  
Renascia a cada  raio de  sol
Sobre seus cabelos emaranhados
Molhados do  orvalho 
Sentia a vida de forma única
Dependente de toda magia de sentir  
De apenas se sentir 
E se permitir ser sentida
Na nota mais simples da vida
Não perdia seu tom...

By Juci Diass

1 comentários:

Edson Palma disse...

Olá Juci Diass, tudo certo?

A tempos que eu ñ dava às caras por aqui... Achei tocante lincando a sua publicação e, soa — ops, de novo! —, muito bem aos ouvidos! Legal ter vindo aqui! Continuo te seguindo pelo Google Friends. Razão pela qual soube da tua postagem em poucas horas - Queira tornar a me seguir via Google Friends também, porque perdi o seu gadget de lá, valeu? Ou, mesmo me visite no RsD pra comentar alguma postagem, certo?!

Até logo

Postar um comentário